Blog Alma Missionária

Blog Alma Missionaria

sábado, 3 de maio de 2014

Quinta-feira de Adoração

Porque nele se revela a justiça de Deus 
Padre Serginho Farias
Foto: Natalino Ueda/ Fotos: Canção Nova
São José é um homem humilde e justo. No primeiro momento da nossa pregação hoje de manhã, nós meditamos sobre a humildade desse grande santo e da entrega total dele a Jesus.

“Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá pela fé” (São Paulo aos Romanos 1,17).

Uma das características de São José é a justiça. E no mundo, as pessoas acabam se equivocando e comparando a justiça de Deus com a dos homens. O que é a justiça de Deus? Por que a Igreja proclama São José castíssimo e justo? Nós, na nossa justiça, comparamos a justiça dos homens com a Deus. A castidade significa também a justiça de São José, por ser casto ele se torna um homem justo. Assim todas as características que nós vemos em São José o fazem um homem justo.

A palavra "justo", dentro da concepção bíblica, vai muito além da projeção humana e possui um significado muito maior do que imaginamos. O homem justo, na Bíblia, quer dizer não somente um homem íntegro, puro e casto, mas sim um homem santo. A santidade era o que havia no coração daquele homem a partir da sua obediência. São José deixou-se ser consumido pela santidade.

Quando celebramos São José e entramos na vida de São José, nos entramos na mística do Espírito Santo de Deus. Agora nós entramos em uma dimensão profunda, porque em poucos lugares se fala da santidade. Onde a santidade não é mais falada nem vivida, é preciso encontrá-la [santidade] em São José, imitando-o na maneira de ele ser. Nós precisamos de homens santos! Jovens santos! Não se fala mais da santidade nem da castidade. Eu acredito que um jovem é justo quando tem a coragem de viver a castidade no seu namoro, quando ele tem a coragem de sair do seu amor para ir ao encontro do amor de Deus.

Hoje falar da santidade se tornou um tabu. Muitas vezes, ser um bom pai de família e ser um jovem que busca a santidade se torna um escândalo porque não se fala mais em buscar a santidade. Infelizmente, muitos corações se enchem de escrúpulo quando se fala em viver a pureza, a castidade e a santidade. Ser homem justo não é agradar aos homens, mas sim o coração de Deus. Ser um homem no desígnio de Deus. Muitas vezes os homens não buscam a santidade porque querem mais agradar às pessoas do que agradar a Deus! Homens, não tenham medo de ser santos! O mundo carece de santidade!

O que será que é uma vida de santidade? Uma vida semelhante a de São José! O que vem a ser uma verdadeira radicalidade a Deus? São simplesmente os sinas externos? Será que o que define a pessoa cristã são apenas os sinais externos? Uma santidade exterior ou interior? A santidade vai muito além das aparências! Na Sagrada Escritura não há nenhuma palavra de São José. O seu anúncio, o seu grito, foi o silêncio que disse tudo, ele não falava nada, mas ele vivia segundo os desígnios de Deus. São José passou sua vida adorando a Deus. Assumiu a paternidade de Jesus, se tornando uma pessoa escrava da vontade de Deus Pai por amor e por entrega a Ele. São José, que, sendo filho, teve de ser pai, consumiu sua vida em santidade ao lado de Maria. São José, homem trabalhador. Homem que decidiu amar.

Até os doze anos de idade o Menino Jesus crescia em santidade e era submisso aos seus pais. Deus se fez submisso a São José e a Maria.

"Nós precisamos de homens santos!", exortou padre Serginho Farias
Foto: Natalino Ueda/ Fotos: Canção Nova

Como que se faz para ser santo? A santidade contém uma característica. Podemos citar aqui Santa Catarina de Sena, Santa Teresinha do Menino Jesus e Padre Pio. O que havia nos corações deles que os levava a ser tão radicais? O que será que aconteceu no coração de São José que o levou a gastar a sua vida? Que santidade é essa em que a pessoa "se anula" a cada dia para fazer a vontade do Senhor? O que esses santos têm em comum? O que há em comum entre eles que os faz ser tão radicais na vivência do Evangelho? Quem busca a santidade não consegue ficar parado! O que é que move esses corações? O que move um coração a continuar quando a sua humanidade, a sua carne, quer relutar contra o amor de Deus? É o amor. A santidade brota de uma entrega de amor! Não é apenas de sentimento. O que moveu São José não foi o sentimentalismo; ele não foi movido pelas suas emoções! O que o moveu foi o amor sentido, não o amor sentimento.

São José foi direcionado por uma decisão. O que é uma cisão? Quando eu corto aquilo que não presta? Qual é a sua decisão hoje?"Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém. Tudo é permitido, mas nem tudo edifica" (Coríntios 10,23).

O maior problema das pessoas é quando elas buscam a Deus pela emoção e não pela decisão. Mas quando uma pessoa diz: “Hoje eu me decido por Deus. A partir de hoje eu não quero mais viver o adultério”, a decisão entra no coração dela e faz com que ela tenha uma postura diferente. Deus quer mudar sua vida hoje! Como São José que decidiu viver a santidade, que se decidiu a todo momento pela santidade.

Deus não quer mudar você! Deus quer moldar você! O Senhor quer transformar a sua vida! Se você quer e Deus quer, quem poderá impedir? Hoje precisamos tomar a decisão pela santidade! E para conseguirmos viver a graça da santidade basta darmos o primeiro passo! Que o Senhor nos dê a temperança de São José! Na Canção Nova existe uma música que diz: “Ou santos ou nada”. E eu lhe digo: Ou santos ou santos! Mas, depois de ter pensado nisso, apareceu-lhe um anjo do Senhor em sonho e disse: "José, filho de Davi, não tema receber Maria como sua esposa, pois o que nela foi gerado procede do Espírito Santo (Mateus 1,20).

Eu tenho que lhe dizer que Deus o ama! Ele não desiste de você! Pela intercessão de São José todos os homens serão alcançados!
 


Transcrição e adaptação: Jakeline Megda D'Onofrio


--------------------------------------------------------------

Padre Serginho Farias 
Comunidade Voz dos Pobres



--------------------------------------------------------------

01/05/2014 - 13h50

Postar um comentário