Blog Alma Missionária

Blog Alma Missionaria

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

A VERDADE SOBRE JESUS CRISTO/ FICHA DE IDENTIDADE DE JESUS CRISTO

* Evangelho de S. Marcos - 65d.C - fala quem é Jesus
* Evangelho de S.Lucas (80 a 85d.C) - Apresenta Jesus como o caminho que se realiza na história; que Jesus nasce de uma nova história.
* Evangelho de S. Mateus - nasce de uma pesquisa das catequeses na época. Apresenta Jesus como Emanoel (Mt 1,23) e nos mostra Jesus como o Mestre, o Messias que veio realizar as promessas feitas no A.T. de Deus.
* Evangelho de S. João - 99 a 10d.C. -apresenta Jesus como caminho da Vida.

"É com a oração e a Fé que nasce o Milagre. Oraçào é uma súplica.

FICHA DE IDENTIDADE DE JESUS CRISTO

Nome: Jesus Cristo - "Jehoshuá" quer dizer "Deus salva", Jesus: palavra hebraica "Cristo", do grego significa "Üngido": títulos dados ao futuro libertador, Jesus Cristo, -O Messias é chamado Filho de Davi, de Abraão, nas profecias e nas promessas; Filho do Homem, nos Evangelhos.
Jesus - significa Salvador
Cristo - é o equivalente grego da palavra hebraica Messias, que significa consagrado por unção.

Pai Adotivo: José da Galiléia, da cidade
Mãe: Maria
País onde nasceu: Palestina ou Canaã - alguns outros nomes que aparecem na Bíblia: Canaã (Gn 13,12);
Terra dos hebreus (Gn 40,15);
Terra do Senhor (Os 9,3);
Terra de Israel (Mt 2,20);
Tera de Judá (Is 26,1);
Terra Gloriosa (Dn 11, 41);
Terra da Promessa (Hb11,9);
Terra Santa (Zc2, 12).
A Palestina no Tempo de Jesus, estava dividida em distritos como:
* Judéia (ou Judá)
* Samaria
* Iduméia
* Galiléia
Cidade e região onde nasceu: em Belém (Casa do Pão) Efrata do distrito da Judéia, a 160 km de Nazaré.
Nasceu no ano 6 (8a.C., nos dias de Herodes, entre o 8o e o 6o ano antes do ano um da era cristã). O mes do nascimento provavelmente foi "nisã" a que corresponde a uma época entre março e abril. O nascimento de Jesus se comemora no dia 25 de dezembro, em consequencia de um decreto do imperador Justiniano, no ano 354a.C., devido neste dia se festejar o solstício de inverno, o dia em que o sol atinge o ponto mais distante em relação a Terra.
 # Ele  morreu no ano 4a.C.Cidade e Região onde morreu: lugar fora dos muros da cidade de Jerusalém, no lugar chamado Calvário (lugar do "Crânio ou Monte da Caveira), em hebraico Gólgota.
Tipo de morte: de forma infame, como um criminoso crucificado
Motivo da morte: Porque se dizia Rei e se proclamava como o Messias, o salvador - colocando em perigo o Poder de Roma e aos olhos das autoridades religiosas uma blasfêmia quando se declarava o "Filho do Homem (o Messias) e desvelava aos olhos de todos os pecados dos homens que serviam de modelo ao povo.
# Sentimentos de Jesus Cristo X  Acontecimentos
* Ceia - Jesus prediz seus últimos momentos:
                     a traição,
                      Monte da Oliveiras - solidão não pode contar com a solidariedade daqueles que lhes    rodeavam (seus apóstolos e discípulos) , sentiu-se desamparado. "Minha alma está triste até a morte." Pedido ao Pai que afaste o cálice, mas que não faça a Sua vontade mas a do Pai (suor/gotas de sangue - Agonia da Morte)

                     a prisão - motivo de escândalo (tristeza),
                                    * cuspe no rosto,
                                    * punhadas,
                                    *bofetadas
                                    *amarrado - comparado a bandido,
                                    *açoites,
                                    *puseram uma coroa de espinhos na cabeça
                                    *escarnecido, sofreu zombarias,                    
                     sofreu falsa acusações
                     despiram-no e vestiram-no com um manto púrpura,
                     colocaram em suas mãos uma cana, 
                     deram com a cana na sua cabeça,
                     negação de Pedro, 
                     crucificação,
                     sofreu blasfêmias, insultos, impropérios
                     deram -lhe de beber vinho misturado com fel,
                     morte na cruz
sortearam suas vestes entre eles (os soldados)
Profissão: carpinteiro. Mesmo sendo descendente de Davi, seus pais eram pobres e sem "status" social. Ele assumiu a mesma profissão de seu pai - "téktwn" ou seja, artesão de madeira, fabricando móveis, carroças, janelas, etc.
Missão - (Lc 4,18-19):
* para anunciar a boa nova aos pobres;
* para sarar os contritos de coração;
* para anunciar- aos cativos a redenção;
                       - aos cegos a restauração da vista;
* para por em liberdade os cativos;
* para publicar o ano da graça do Senhor.
Enfim, salvar a humanidade através da morte, carregando todos os pecados.
Mandamento que nos deixou: "Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu espírito e de todas as tuas forças (Mc 12,30)
"Este é o meu mandamento: Amai-vos uns aos outros, como eu vos amo.(Lc 15,12)

# Seu principal anúncio: "O prazo já se esgotou. O Reino de Deus acabou de se aproximar. Convertam-se e creiam no evangelho" (Mc 1,15)
"Ninguém vem ao Pai senão por mim. Eu sou o caminho, a verdade e a vida;
"Eu sou o pão vivo que desci do céu" (Jo 6,50)
"Eu sou o caminho,a verdade e a vida" (Jo 14,6)
"Não julgueis que vim abolir a lei ou os profetas. Não vimpara os abolir, mas sim para levá-los à perfeição. Pois, em verdade vos digo, passará o céu e a terra antes que desapareça um jota, um traço da lei."
"Então Jesus lhes disse: "Em verdade, em verdade vos digo - "Se não comerdes a carne do Filho do Homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós mesmos" (Jo 6,53)
  "Tendes ouvido o que foi dito: Amarás o teu próximo e poderás odiar teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam, orai pelos que vos [maltratam e] perseguem.
(Mt 5,43-44).
"Portanto sêde perfeitos, assim como vosso Pai celestial é perfeito"
"Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei de dar, e a minha carne para a salvação do mundo" (Jo 6,50)
"Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai que me enviou vive, e eu vivo pelo Pai, assim também aquele que comer a minha carne, viverá por mim. Este  é o pão que desceu do céu. Não como o maná que vossos pais comeram e morreram. Quem come deste pão viverá eternamente"
"Eu sou o bom pastor. O bom pastor expôs a sua vida pelas ovelhas.
Eu sou o bom pastor. Conheço as minhas ovelhas e as minhas ovelhas me conhecem a mim, como meu Pai me conhece e eu conhço o Pi. Dou a minha vida pelas minhas ovelhas. Tenho ainda outras ovelhas que não são deste aprisco. Preciso conduzi-las também e ouvirão a minha voz, e havará um só rebanho e um só pastor".
# que Jesus é o próprio Deus feito Homem, é o Messias;
Título que deu a si mesmo: (evangelho de João)
      ...O Filho do Homem... (Lc 5,24) - Filho de Deus, feito homem, o  Messias - que é o Redentor do mundo.
Acontecimento que tornou alicerce da nossa fé: a Ressurreição de Cristo
Quem continuou sua missão, depois de sua morte: seus Discípulos e Apóstolos
Quem continua sua missão hoje - A Ifreja (ecclesia) com a Força da Fé e do Espírito Santo - composta por:
* sacerdotes,freiras
* leigos crentes e atuantes
*missionários, verdadeiros apóstolos 
Seu mandato antes de subir: "Ide, pois ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo".  - evangelizar, espalhar as Boas Novas de Jesus
Onde está atualmente - "Disse-lhes outra vez: "A paz esteja convosco!... Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio a vós."Depois destas palavras, soprou sobre eles dizendo-lhes: "Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados, àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos." (Jo 20,21-23)
No céu, mas também no coração de cad homem que necessita por vezes (re)descobri-lo no seu interior e em cada um do seu próximo (irmão)                  
GRUPOS POLÍTICOS E RELIGIOSOS DO SEU TEMPO
  Nos seus dias, Jesus encontrou muitos religiosos e religiões que não podiam conceder vida espiritual:
* Fariseus - a palavra "fariseu"significa separado. Após o término do ministério dos profetas pós exílio, homens piedosos chamados "Chasidim", isto é, santos, levantaram-se procurando manter viva a reverência pela lei entre os descendentes dos judeus que retornaram do cativeiro da Babilônia. Este movimento degenerou-se no farisaísmo do tempo de Jesus (Mt 23, 27)

# Escribas - eram assim chamados porque tinham como tarefa copiar as Escrituras, classificar e ensinar os preceitos da lei oral e manter o registro cuidadoso de cada letra das obras do Velho Testamento (Ed 7,6; Jr 8,8)

# Herodianos - formavam um partido político que apoiava a dinastia e a família de Herodes no exercício das funções reais e sacerdotais.

# Zelotes - eram membros de um partido nacionalista, que converteu-se em um centro de resistência aos Romanos, no tempo de Cirênio, sob a direção de Judas Galileu. Crescendo em fanatismo, provocaram a guerra com o Império dos Césares.

# Saduceus - formavam uma seita judaica que negava a existência dos anjos, espíritos e todos os milagres, especialmente a ressurreição do corpo (Mt22,23). Eles não se identificavam com nenhuma doutrina positiva, e negava o sobrenatural 

# Essênios - formavam uma ordem religiosa, no tempo de Cristo, composta de aproximadamente de 4.000 homens, que se dedicavam a uma vida ascética. Professavam doutrinas que elevam a alma a Deus por meio de orações, meditações, mortificações e penitências e observavam inexcedível moralidade.

Os anciãos eram os senhores idosos representantes da nação judaica, por isso eram chamados de "anciãos de Israel" (Ex 3,16). Entre os judeus exerciam autoridade sobre o povo (Dt 27,1) e representavam a nação em negócios de Estado (Ex3,18). Cada cidade tinha os seus anciãos que naturalmente, eram os chefes das famílias principais.

# Sinédrio - autoridades judaicas


O mundo conhecido na época de Jesus estava deteriorado e corrompido. A imoralidade (licenciosidade) e a prostitução eram tão comuns, que faziam parte dos ritos religiosos. Os povos mais fracos submentiam-se à tirania dos poderosos.
# O Império Romano - Os romanso dominaram uma área muito maior que os outros impérios anteriores. Sob a bandeira do império romano estavam a Gália, a Espanha, a Grã-Bretanha, a Ásia Menor, a Á frica do Norte, partes da Síria, a Arábia e a Palestina. Os povos conquistados eram submetidos a uma legislação rigorosa. Devido a esse rigor, o mundo da época experimentou um período de paz conhecido como "Pax Romana" (A Paz Romana) 

Em 63a.C. Roma conquistou a Palestina, entregando em 40a.C. o governo a Herodes, o Grande, que reinou até morrer em 4a.C. Foi sob o domínio de Herodes que Jesus nasceu, durante o reinado do imperador César Augusto.

26/01/2005 - Jesus - é a imagem perfeita de Deus - Ele é o próprio Deus.
Lc 2,41-42 / Lc 2,48-49

                                                                   Jesus,o Libertador

Ele veio do meio da morte para trazer vida. Desencadeou um processo de libertação - e só acaba quando se realizar o completamento do Projeto do Pai (mundo mais fraterno, mais justo, mais igual). Jesus liberta o homem de tudo o que oprime (lei injusta, ignorância, doença). Mt 16,24-26; Lc 11,45-46
Valores na qual liberta o homem - coloca a vida em primeiro lugar. Ele promove a comunhão do povo - "Mas Jesus, chamando-os, disse: "Sabeis que os governadores das nações as dominam e os grandes as tiranizam. Entre vós não deverá ser assim. Ao contrário, aquele que quiser tornar-se grande entre vós seja aquele que serve, e o que quiser ser o primeiro dentre vós, seja o voso servo. Desse modo, o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos".
  
O SIGNIFICADO DA PAIXÃO, MORTE E RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO

* Paixão - no simbolismo cristão, o sofrimento e a crucificação de Cristo, em particular o período da Agonia no Jardim para a descida da Cruz.
Símbolos da Paixão: * cálice - copo com pé cerimonial, associado da Eucaristia Cristã (o sangue de Cristo) e à lenda do Santo Graal. Simboliza beber a iluminação ou o conhecimento espiritual, a redenção e, assim, a imortalidade. O cálice aparece na arte como emblema da fé e é atributo de diversos santos.
O cálice também pode representar destino amargo, como o cálice que Cristo pediu a Deus que afastasse dele (referindo-se à crucificação próxima).
# Graal - na versão cristã, era o cálice usado por Cristo na última Ceia, ou a traça da mortalidade que já pertencera a Adão, que a perdeu ou o cálice no qual José de Arimatéia disse ter pegado o sangue de Cristo quando Ele foi crucificado. Como tal, o Graal, tornou-se o símbolo do Sagrado Coração de Cristo, conferindo Graça divina.

* Cruz - era também um resumo da Árvore da Vida, simbolismo muito difundido que depois foi incorporado com frequencia na iconografia cristã da crucificação. Nos mundos romano, persa e judeu, a cruz de crucificação era o instrumento de execução brutal e humilhante para os não cidadãos como escravos, piratas e agitadores políticos estrangeiros ou outros criminosos. Assim, na época da morte de Cristo, dificilmente pareceria um emblema provável para fazer muitas conversões. O medo do ridículo, assim como a perseguição, provavelmente influenciaram as formas de crux dissimulata (âncoras, machado, suástica ou tridente) usadas pelos primeiros cristãos como emblemas secretos da cruz. Mesmo depois da conversão do Imperador Constantino, a cruz permaneceu por alguns séculos um emblema da fé secundário ao monograma Qui-Rô de Cristo.Este tornou-se dominante com a dispersão da cristandade, pois poderia herdar as tradições antigas da cruz e dar-lhes novo significado profundo - a redenção pelo auto-sacrifício de Cristo.
Na arte, as representações esquemáticas da crucificação com um Cristo impassível deram gradualmente lugar a imagens poderosas de sua agonia, que culminam no retábulo de Grunewald em Isenheim (1515), que fez da própria cruz em si um símbolo consolador da transcedência do sofrimento humano.
A forma da cruz tem variado muito. A latina cruz immissa (em que a barra horizontal está no alto da vertical) é tradicionalmente a cruz de Cristo. Alternadamente esta pode ter sido a cruz commissa (a letra grega tau, em forma de T, ou cruz de Santo Antonio).

* Galo - vigilância, coragem, virilidade, presciência, confiabilidade - e como arauto do amanhecer, símbolo da ressurreição solar e espiritual. Uma associação curiosa com o tempo é dada pelos tres cantos do galo que contaram as 3 (tres) vezes que Pedro negou ser discípulo de Jesus. Desde então, o galo tornou-se um dos atributos de S. Pedro, que é o padroeiro dos relojoeiros.

* Coroa de Espinhos - No cristianismo, hinduísmo e budismo, a coroa representa iluminação espiritual a coroa da vida eterna. A coroa de espinhos usada para zombar de Cristo (que se tornou a coroa dos mártires) tinha precedentes antigos na coroação das vítimas de sacrifício.
Espinho - aflição ou proteção. A acácia espinhosa aparece em ambos os significados simbólicos no Oriente Médio antigo - como atributo da deusa protetora egípcia Neith e do Cristo zombado com sua coroa de espinhos.
Acácia - Imortalidade, em especial no pensamento judaico-cristão. A madeira de lei de uma espécie de acácia, a shittan, foi utilizada para construir o Tabernáculo, e, por tradição, a coroa de Cristo era feita de espinhos de acácia. As flores vermelhas e brancas surge sem a dualidade de vida-morte.

*Dados - serviu para sortearem a túnica de Jesus.

* Pintassilgo - a alma ou o espírito cristão - o pássaro visto com maior frequencia nas mãos do menino Jesus. Além de sua beleza e suavidade, que fizeram dele um popular animal de estimação das crianças, a iconografia dessa ave pode aludir a uma lenda de que um pintassilgo baixou e pegou um espinho da coroa de Cristo no caminho para o calvário, daí a mancha cor vermelho-sangue na frnte do pássaro.
      Sangue - símbolo ritual da força da vida, em muitas culturas acreditava-se que continha uma parcela da energia divina, ou, mais comumente, o espírito de uma criatura individual.
Na doutrina católica romana, Cristo está presente no vinho transubstanciado da eucaristia, que corporifica e simboliza o sangue do Salvador.
     Vinho - Força vital, bênção espiritual, salvação, alegria, cura, verdade, transformação.
No ritual judeu, o vinho comemora a bênção de Deus sobre seu povo. No culto do deus grego Dionísio (Baco, na mitologia romana), o vinho era símbolo da união estática com o próprio deus e nos ritos órficos era igualado a seu sangue sacrificial. A cristandade deu a esse simbolismo nova força poética:"Quem comer a minha carne e beber o meu sangue permanece em mim e eu nele" (Jo 6,56). O vinho sacramental que representa o cálice do sangue redentor do Cristo é o simbolismo da Eucaristia e do Graal. As pinturas medievais de Cristo em pé ou ajoelhado numa prensa de vinho referem-se à sua descrição por Santo Agostinho (354-430) como "o cacho que foi posto sob a prensa de vinho". Os cachos de uvas são emblemas funerários da salvação. Alternadamente, o sangue derramado das uvas prensadas simboliza a cólera de Deus, como no Apocalipse. (14:20)
    Transformação - as transformações de todos os tipos simbolizam liberação das limitações físicas ou mortais da natureza. O vinho é transubstanciado em sangue; Cristo é transfigurado num ser de luz sob os olhos dos seus discípulos.

* Cordeiro - Pureza, sacrifício, renovação, redenção, inocência, brandura, humildade, paciência - o símbolo mais antigo de Cristo. O uso emblemático do cordeiro na iconografia e nas escrituras cristãs ampliou uma tradição já longa na qual cordeiros recém-nascidos eram sacrificados como símbolos da renovação primaveril entre as sociedades pastorais do Oriente Médio. O sangue do cordeiro pascal era, desde o tempo da Páscoa dos judeus uma marca particular da salvação hebraica, e profetas como Isaías descreveram o Messias que estava por chegar como um cordeiro. Era com esse sentido que João Batista proclamou Jesus "Cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo". João Batista pode aparecer na arte segurando um cordeiro. Cristo algumas vezes também carrega um cordeiro em seu papel de Bom Pastor. O Agnus Dei ("Cordeiro de Deus") em geral é mostrado com uma cruz ou um halo cruciforme, ou com um estandarte (representando a vitória sobre a morte). Nas pinturas do início do cristianismo, os discípulos podem aparecer como 12 (doze) ovelhas com o cordeiro no centro.

* Pelicano - Amor de auto-sacrifício - simbolismo baseado na lenda de que os pelicanos rompem seus peitos (em vez de esvaziar seus bicos) para alimentar os filhotes. O mais antigo bestiário cristão traçou uma analogia entre o pelicano macho, que reanimava o filhote com seu sangue, e Cristo, que derramou seu sangue pela humanidade. O pelicano às vezes aparece nas pinturas de crucificação com esse significado, e pode representar a Caridade em naturezas-mortas e devoção filial na heráldica. Representa a natureza humana de Cristo quando comparado à Fênix.

* Papoula - era associada à deusa da agricultura grega Deméter (Ceres na mitologia romana) e sua filha Perséfone (Prosérpina) como símbolo do "sono invernal"da vegetação. A cristandade adotou aspectos dessa tradição mais antiga, fazendo da papoula vermelha emblema do sacrifício de Cristo e "sono da morte".

* Rosa - A rosa vermelha pode significar sangue derramado, martírio, morte e ressurreição.
A mitologia romana associava a rosa vermelha, pela sua cor, ao deus da guerra, Marte, e à sua cosorte, Vênus (Afrodite, na mitologia grega), e do amante morto dela, Adônis. Segundo uma versão grega do mito Adônis foi atacado fatalmente por um javali. Como Afrodite correu para o lado de seu amante ferido, rasgou se pé nos espinhos de uma rosa branca, e as gotas de seu sangue tornaram-na vermelha. Para a cristandade, o vermelho-sangue da rosa com seus espinhos era um símbolo pungente do sofrimento de Cristo e de seu amor pela humanidade.

* Junco - De maneira mais geral, o junco é símbolo de fraqueza, como na referência bíblica ao Egito como um aliado fraco, um "junco quebrado" (Isaías 36:6). A cruz de junco é emblema de João Batista que, disse Cristo, não era um junco que balançva ao vento. O junco também é símbolo da Paixão de Cristo porque uma esponja embebida em vinagre foi colocada na ponta de uma vara de junco para alcançar Sua boca quando da crucificação.

* Lança - Arma de choque da cavalaria até o século XX. Está associada à cavalaria andante e à Paixão de Cristo. Sua ligação de sacrifício com o Graal deriva da lenda de que o instrumento usado para perfurar o lado do Corpo de Cristo depois de sua morte na cruz, era uma lança carregada por um centurião romano, Longino, que depois exclamou, ësse homem era verdadeiramente o filho de Deus". Longino se tornou o santo padroeiro de Mântua, cidade à qual se diz que ele teria voltado carregando gotas do sangue sagrado. Considerava-se que sua lança, como a do grego Aquiles, tinha poder de cura.
     Chicote - símbolo da Paixão de Cristo. Jesus foi chicoteado pelos romanos antes de ser crucificado.

# É comum sentimento que desde os tempos apostólicos foram instituídos alguns dias para celebrar os principais mistérios de nossa Redenção, e entre estes teve o primeiro lugar o que era destinado a honrar a paixão e morte do nosso divino salvador Jesus Cristo. Mas, por mui augusta que fosse esta festa, era festa de orações, de vigílias, de jejuns, de retiro e de mortificações.
Entre os antigos cristãos chamou-se frequentemente a sexta feira da paixão dia de Páscoa; porque nela morreu na cruz, e foi sacrificado ao Eterno Pai Seu Filho Jesus Cristo, que é o cordeiro de nossa verdadeira e santa Páscoa, da qual fora figura a dos Hebreus.
Postar um comentário