Blog Alma Missionária

Blog Alma Missionaria

sexta-feira, 9 de maio de 2014

DAR TESTEMUNHO

Papa ressalta que Igreja não é ‘universidade de religião’

Refletindo sobre o martírio de Santo Estêvão, Francisco enfatizou a importância de os cristãos darem testemunho de Cristo
Da Redação, com Rádio Vaticano
papa francisco_missa
Papa celebra cotidianamente na Casa Santa Marta, onde reside / Foto: L’Osservatore Romano
O cristão que não dá testemunho se torna estéril, afirmou o Papa Francisco, na Missa desta terça-feira, 6, na Casa Santa Marta, onde reside, no Vaticano.
O Santo Padre concentrou-se no martírio de Santo Estêvão, lembrando que a Igreja não é uma universidade de religião, mas um povo que segue Jesus. Apenas desse modo, enfatizou, a Igreja é fecunda e mãe.
Na homilia, Francisco retomou o caminho que levou à morte do primeiro mártir da Igreja e explicou que o martírio de Estêvão é um modelo do martírio de Jesus. No martírio, disse o Papa, é possível ver claramente essa luta entre Deus e o demônio.
Francisco explicou que “martírio” é a tradução da palavra grega que também significa “testemunho”. Dessa forma, pode-se dizer que, para um cristão, o caminho a seguir são os passos de Jesus, a fim de dar testemunho d’Ele. E, muitas vezes, esse testemunho nos faz dar a vida.
“Não se pode entender um cristão sem testemunho. Nós não somos uma ‘religião’ de ideias, de pura teologia, de coisas bonitas e mandamentos. Não! Nós somos um povo que segue Jesus Cristo, que dá testemunho d’Ele e, algumas vezes, chegamos a dar a vida por Ele”.
Após a morte de Estêvão, lê-se nos Atos dos Apóstolos que começou uma violenta perseguição contra a Igreja de Jerusalém, fazendo com que o povo fosse para longe. Mas lá onde chegava, esse povo explicava o Evangelho, dava testemunho de Jesus; assim começou a missão da Igreja.
“O testemunho sempre é fecundo, seja na vida cotidiana, seja em algumas dificuldades ou na perseguição e na morte. A Igreja é fecunda e mãe quando dá testemunho de Jesus Cristo. Em vez disso, quando ela se fecha em si mesma e acredita ser – digamos assim – uma ‘universidade de religião’, com tantas belas ideias, belos templos, belos museus, belas coisas, mas não dá testemunho, torna-se estéril. Com o cristão acontece a mesma coisa”.
O Pontífice concluiu destacando que não se pode dar testemunho sem a presença do Espírito Santo. Pensando em Estêvão, que era cheio do Espírito e sofreu o martírio, e nos cristãos que fogem por causa da perseguição, o Papa propôs que cada fiel pense em como é seu testemunho.
“Sou um cristão testemunha de Jesus ou sou um simples número dentre os cristãos? Sou fecundo, porque dou testemunho, ou permaneço estéril, porque não sou capaz de deixar que o Espírito Santo me leve adiante na minha vocação cristã?”.
Postar um comentário