Blog Alma Missionária

Blog Alma Missionaria

sábado, 3 de maio de 2014

COMENTÁRIOS

Jesus imagem do Deus invisível.

A nossa fé é apostólica, ela depende do testemunho dos apóstolos que foram testemunhas oculares de tudo o que Jesus fez e ensinou. Por isso, a festa dos apóstolos Filipe e Tiago é a ocasião de agradecermos a Deus por aqueles que nos precederam e pela fé que nos transmitiram. O evangelho deste dia é parte do discurso de despedida de Jesus (13,31–14,31). O discurso é interrompido algumas vezes pela intervenção de um dos discípulos. Do ponto de vista retórico, essas intervenções fazem o discurso avançar e permitem a Jesus esclarecer questões importantes acerca do seu destino e da vida dos seus discípulos. O pedido de Filipe, repetido por Jesus (v. 9), revela a incompreensão e a incredulidade dos discípulos (v. 10), a dificuldade de poder entrar no mistério de Deus revelado em Jesus. A comunhão de Jesus com o Pai é tal (v. 10) que estar diante de Jesus é estar diante de Deus. O que é dito a Nicodemos vale para os discípulos: “É preciso nascer do alto” (Jo 3,7). A verdade é essa: Jesus “é a imagem do Deus invisível” (Cl 1,15). Os discípulos terão de passar pela dura prova da paixão e morte de Jesus para que, à luz da ressurreição, possam compreender que na vida de Jesus a graça de Deus habitava em plenitude.

Carlos Alberto Contieri, sj

ORAÇÃO

Pai, que eu saiba reconhecer-te na pessoa de Jesus, expressão consumada de teu amor misericordioso por todos os que desejam estar perto de ti.

LEITURA

1Cor 15,1-8

SALMO

Seu som ressoa e se espalha em toda a terra.
Sl 19A(18A)
Postar um comentário